BlogPrecatórioA polêmica PEC 95 e como ela afetou os precatórios

A polêmica PEC 95 e como ela afetou os precatórios

A PEC 95 é uma das medidas mais polêmicas adotadas pelo governo federal nos últimos anos. Ela alterou profundamente a forma como o orçamento público é elaborado e executado, impondo um limite rígido para os gastos públicos por duas décadas. Mas o que isso significa na prática? E como isso afeta os precatórios, que são as dívidas do Estado reconhecidas pela Justiça?

Neste artigo, vamos explicar o que é a PEC 95, quais foram os seus objetivos e quais são as suas consequências para a economia e para os direitos dos cidadãos. Vamos também analisar como essa emenda impactou o pagamento dos precatórios, que são uma fonte de renda para milhares de brasileiros que aguardam o cumprimento de decisões judiciais favoráveis.

O que é a PEC 95?

A PEC 95, também conhecida como Emenda Constitucional nº 95, foi promulgada em dezembro de 2016 e estabeleceu um novo regime fiscal para o país. Essa emenda introduziu o chamado “Novo Regime Fiscal” ou “Teto dos Gastos”, que limita o aumento dos gastos públicos à variação da inflação do ano anterior, pelos próximos 20 anos.

Isso significa que o governo não pode gastar mais do que gastou no ano anterior, corrigido pela inflação. Essa regra vale para todos os poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e para todos os tipos de despesas (primárias e financeiras), com exceção das transferências constitucionais para estados e municípios e das despesas com eleições.

O objetivo da PEC 95 foi conter o crescimento da dívida pública, que atingiu níveis elevados nos últimos anos, comprometendo a credibilidade e a sustentabilidade fiscal do país. A ideia era que, ao limitar os gastos públicos, o governo conseguiria reduzir o déficit público (que é a diferença entre as receitas e as despesas) e, consequentemente, a necessidade de se endividar.

Quais são as consequências da PEC 95?

A polêmica PEC 95 e como ela afetou os precatórios

A PEC 95 tem gerado muitas controvérsias e divergências entre especialistas, políticos e sociedade civil. Por um lado, há quem defenda que a emenda foi necessária para restaurar a confiança dos agentes econômicos no país, favorecendo o crescimento econômico e a geração de empregos. Por outro lado, há quem critique que a emenda foi excessivamente rígida e prejudicial para os investimentos públicos em áreas essenciais como saúde, educação e infraestrutura.

Uma das principais críticas à PEC 95 é que ela não leva em conta as necessidades e demandas da população, que tendem a aumentar ao longo do tempo. Por exemplo, com o envelhecimento da população, é esperado que haja um aumento dos gastos com previdência social e assistência à saúde. Com a PEC 95, esses gastos terão que ser comprimidos dentro do limite imposto pela emenda, podendo comprometer a qualidade e a universalidade desses serviços.

Outra crítica à PEC 95 é que ela não diferencia os gastos públicos por sua natureza e impacto. Por exemplo, há gastos que são considerados essenciais para garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, como os gastos com saúde e educação. Há também gastos que são considerados estratégicos para estimular o desenvolvimento econômico e social do país, como os gastos com ciência e tecnologia e infraestrutura. Esses gastos têm um retorno positivo para a sociedade e para o próprio governo, pois geram mais renda, emprego e arrecadação.

Com a PEC 95, esses gastos terão que disputar espaço dentro do mesmo teto com outros gastos que podem ser menos prioritários ou eficientes. Isso pode levar a uma redução dos investimentos públicos nessas áreas, prejudicando o potencial de crescimento do país no longo prazo.

Como a PEC 95 afeta os precatórios?

No contexto dos precatórios, a PEC 95 impactou significativamente a forma como o pagamento dessas dívidas é realizado. Precatórios são requisições de pagamento expedidas pelo Poder Judiciário para quitação de débitos do Estado, decorrentes de decisões judiciais definitivas. Antes da PEC 95, os precatórios tinham uma ordem cronológica de pagamento, garantindo assim o direito dos credores de receberem seus valores de acordo com a antiguidade dos débitos.

No entanto, com a implementação da PEC 95, os pagamentos de precatórios passaram a sofrer limitações. A emenda estabeleceu um novo regime de pagamento para essas dívidas, determinando um percentual máximo de receitas correntes líquidas que pode ser destinado anualmente ao pagamento de precatórios. Esse percentual varia de acordo com o ente federativo (União, estados e municípios).

Essa limitação imposta pela PEC 95 gerou debates e críticas, pois muitas vezes resultou em atrasos significativos no pagamento de precatórios, prejudicando os credores e dificultando o acesso à justiça. Além disso, a emenda também permitiu a adoção de medidas como os regimes especiais de pagamento, que permitem a utilização de recursos para o pagamento de precatórios de forma parcelada ao longo do tempo.

Negocie seu precatório com a Addebitare

A polêmica PEC 95 e como ela afetou os precatórios

Muitas vezes, o pagamento dos precatórios demora anos ou até décadas, pois depende da disponibilidade orçamentária do ente devedor e da ordem cronológica de apresentação dos ofícios requisitórios. Por isso, algumas pessoas optam por vender seus precatórios para empresas especializadas, que oferecem um valor menor, mas garantem o recebimento imediato.

Uma dessas empresas é a Addebitare, que atua no mercado de compra e venda de precatórios a mais de uma década. A Addebitare oferece as melhores condições para quem quer vender seu precatório, com agilidade, segurança e transparência. Além disso, a Addebitare conta com uma equipe de profissionais qualificados e experientes, que orientam os clientes em todas as etapas do processo.

Se você tem um precatório e quer vender, entre em contato com a Addebitare e faça uma simulação sem compromisso. Você pode se surpreender com a proposta que vamos fazer.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estamos no maior cartão postal de São Paulo!

Localizados estrategicamente na Avenida Paulista, 2421, desfrutamos de uma posição privilegiada no coração de uma das regiões mais prestigiadas da cidade.

Av Paulista 2421, 5º Andar, Bela Vista, São Paulo - SP

Receba uma proposta sem compromisso:

Addebitare Capital S.A CNPJ -42.476.570/0001-00

Todos os direitos reservados

This is a staging environment